Rumo ao Oscar!

Está chegando o Oscar! \o/  A premiação acontece neste domingo, e eu continuo minha maratona até lá. Mas admito que é uma maratona que perdeu bastante o pique depois de assistir todos os principais indicados, como sempre acontece comigo. Vou acabar deixando de lado vários estrangeiros e documentários. Vou contar pra vocês o que assisti nesse meio tempo:

PHILOMENA

Philomena

Philomena é uma velhinha que acaba pedindo a ajuda de um jornalista para encontrar o seu filho, que foi adotado contra sua vontade há 50 anos, em um convento onde ela trabalhava. Ele anda com dificuldades de emplacar um livro sobre a Rússia e se envolve na história dessa personagem incrível, em uma matéria que desafiaria seus próprios conceitos e preconceitos. Foi uma grata surpresa. Esperava um filme mediano e saí com um drama bem feito com pitadas de comédia na medida certa. Steve Coogan é um pouco do alívio cômico (como era de se prever) mas quem brilha o tempo todo é Judi Dench (como era de se prever).

robert-redford-all-is-lost

Até o fim

Robert Redford é um cara sozinho num barco no meio do nada. Até que um contêiner bate no barco dele e deixa um buraco por onde começa a entrar muita água, então ele passa a próxima hora e meia tentando sobreviver. Sim, você já viu essa história antes, e o filme de JC Chandor não faz nada para te cativar “até o fim”. Não há diálogo – obviamente – e não há sequer empatia com o personagem, porque você não sabe quem é aquele cara e o que ele tá fazendo sozinho ali nos cafundós do Judas. Ponto positivo: edição e mixagem de som.

NEBRASKA

Nebraska

Woody é um velhinho um pouco confuso. Tanto que quando recebe em casa um aviso de que teria ganhado 1 milhão de dólares de uma editora, à la Reader’s Digest, ele decide ir, a pé mesmo, receber o prêmio em Nebraska, que fica a dois estados dali. Recuperam ele duas vezes até o filho decidir levá-lo a Nebraska, de carro, pra ele ver com os próprios olhos que o milhão de dólares não existe. Mas o filme de Alexander Payne não é sobre essa “aventura”. É um filme que reflete sobre a relação de pai e filhos, casamento, família e amizade com personagens que são realistas e muitíssimo bem escritos. E que, além de tudo, aparecem em uma fotografia preto e branco lindona! Certamente um dos meus favoritos dessa temporada de premiações – e o único que foi indicado (meus outros queridinhos são À procura do amor, Frances Ha e Histórias que contamos).

vidas-ao-vento-1-600x427

Vidas ao vento

Despedida de Hayao Miyazaki, Vidas ao Vento é o filme mais pé no chão de um dos diretores mais inventivos do cinema. Conta a história de um menino que queria ser piloto, mas era míope. Decide então projetar aviões, que posteriormente viriam a ser usados pelos kamikaze na Segunda Guerra. Mas o coração do filme também está em uma bela menina que ele conhece um dia e depois some de sua vida, em uma bela reflexão sobre o acaso e até que ponto ele comanda nossas “vidas ao vento”. Apesar de ter um protagonista meio babaca às vezes e desenhado sem os mundos fantásticos de Miyazaki, o filme continua muito bonito e é uma despedida bem digna para os fãs do diretor.

The-Croods_1

Os Croods

Uma família das cavernas tem que abandonar seu abrigo seguro quando o mundo entra em colapso e precisa se aventurar por terras desconhecidas. História divertidíssima que arranca risadas do começo ao fim e discute o medo do desconhecido, mas não consegue cativar como seus concorrentes.

– No Cinema de Buteco, eu e Lucas Paio fizemos uma edição especial do Shot, o podcast de cinema mais rápido da internet brasileira, sobre os indicados a Melhor Animação no Oscar

20feetfromstardom

20 feet from stardom

Documentário sobre os backing vocals, ou seja, os cantores que ficam no fundo dos palcos, quase sempre longe dos holofotes. Personagens ótimos, material de arquivo muito bem pesquisado, edição bem executada e uma trilha sonora realmente invejável. Você conhece desde a voz que canta “rape, murder, it’s just a shot away” em “Gimme Shelter” com os Rolling Stones até quem está por trás das músicas de filmes como Rei Leão. E fica a pergunta: será que, mesmo dotados de um talento inquestionável, uns foram feitos para brilhar mais que outros?

Também revi Harry Potter 2 e 3, O segredo de seus olhos, Tá chovendo hambúrguer, vi Uma aventura Lego e Jogos Vorazes 2 e me surpreendi com Questão de Tempo. Tá explicado não dar conta de todos do Oscar, né?

E por enquanto sigo assim:

  1. The act of killing
  2. Até o fim
  3. Trapaça
  4. Álbum de família
  5. Antes da meia-noite
  6. Blue Jasmine
  7. A menina que roubava livros
  8. The Broken Circle Breakdown
  9. Capitão Phillips
  10. Os Croods
  11. Cutie and the boxer
  12. Clube de Compras Dallas
  13. Meu malvado favorito 2
  14. Dirty wars
  15. Ernest & Celestine
  16. Frozen: Uma aventura congelante
  17. The grandmaster
  18. Gravidade
  19. A grande beleza
  20. O grande Gatsby
  21. Ela
  22. O Hobbit: A desolação de Smaug
  23. The Hunt
  24. Inside Llewyn Davis
  25. The invisible woman
  26. Iron Man 3
  27. Lone Survivor
  28. Mandela: Long walk to freedom
  29. The missing picture
  30. Nebraska
  31. Omar
  32. Philomena
  33. Os Suspeitos
  34. Saving Mr. Banks
  35. The Square
  36. Star Trek Into Darkness
  37. 12 anos de escravidão
  38. 20 feet from stardom
  39. Vidas ao vento
  40. O lobo de Wall Street
Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s