Desafio Literário: “As vantagens de ser invisível”, de Stephen Chbosky

asvantagensdeserinvisivel_stephenchbosky

Editora: Gallery Books/MTV Books
Título original: The perks of being a wallflower
Páginas: 213
Lançamento: 1999

Admito que só li As Vantagens de Ser Invisível por 1) ter gostado muito do filme e 2) ter comprado pela internet. Com o livro na mão, dificilmente me renderia ao formato em que a história é contada: através de cartas (assim como na versão para o cinema). Não sei de onde tirei esse preconceito, mas sempre achei que uma narrativa assim seria bastante aborrecida.

Acontece que as cartas de Charlie não têm resposta. Isso porque ele decide escrever para uma pessoa a quem ele próprio não conhece e a quem não envia seu endereço para resposta. Ele só quer ter alguém a quem contar, por exemplo, que está começando o colegial.

Seu melhor amigo, Michael, havia se matado, deixando Charlie ocupar sozinho o posto de calouro mais desajustado da escola. Logo no início do ano, ele conhece Sam e Patrick, veteranos e meios-irmãos que se tornam seus grandes amigos. É aí que o narrador começa a descobrir o que é amor, luto e quem é ele mesmo.

Parte disso se deve ao fato de desenvolver uma amizade com seu professor de Literatura, que lhe empresta livros considerados já avançados para um adolescente de 15 anos. É lendo O Estrangeiro, O apanhador no campo de centeio, O sol é para todos e O Grande Gatsby que Charlie encontra sua própria voz como escritor e pessoa. Tanto que é fácil notar o amadurecimento de sua redação, desde o início das cartas até a amizade com Bill, o professor.

Mas nem só de livros, drogas e mix tapes – ei, estamos em 1991! – vive Charlie. Ele tem de lidar com a partida de seu irmão para a faculdade e a iminente ida da irmã, a própria sexualidade e a morte de sua tia Helen, que deixou marcas que nem o tempo é capaz de apagar.

Num tom de diálogo com o adolescente que você é ou já foi, Stephen Chbosky trata de temas delicados em uma história sincera sobre o processo doloroso que pode ser crescer. Na adaptação para o cinema (que ele próprio dirigiu), o autor optou por dar a Charlie um final um pouco mais feliz. Mas ao concluir sua correspondência com alguém que sequer conhece, fica a sensação de que a vida é assim mesmo. Nem sempre dá tudo certo, mas, independente do que acontecer, vai ficar tudo bem. Sempre fica.

Leia também:
“O rei das fraudes”, de John Grisham
“Sobrevivente”, de Chuck Palahniuk
“Liberdade”, de Jonathan Franzen
“A culpa é das estrelas”, de John Green
Desafio Literário 2013

Anúncios

10 comentários sobre “Desafio Literário: “As vantagens de ser invisível”, de Stephen Chbosky

  1. Nath, quando crescer quero ler tanto quanto você! ahahaha
    Uma amiga leu o livro e curtiu bastante, acho que vou incluir na minha lista de livros pra esse ano
    beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s