Resenha: “No Direction Home – A Vida e A Música de Bob Dylan”

Em uma tirinha da série “Macanudo”, de Liniers, a personagem Henrieta declara, da altura de sua pequenez:

A diferença entre um bom livro e um grande livro é que um se fica feliz em terminar e o outro se fica triste.

Henrieta é o tipo de criança que traz uma maturidade além de seu tamanho, mesmo que expressa de forma tão simples e cândida. O que ela constata ainda tão jovem é uma verdade universal e que não mudará jamais: bons livros deixam satisfação, grandes livros deixam saudades.

Não era o que eu esperava sentir ao fim das 700 e poucas páginas de “No Direction Home – A Vida e A Música de Bob Dylan” – admito. O calhamaço é pesado e, por isso, pouco prático para quem só consegue ler a caminho do trabalho, como eu. Além disso, trata-se de uma extensa reportagem cuja história muitos de nós já conhecem.

Isso porque Dylan habita o consciente popular há cinco boas décadas. O grande público o associa, quase sempre, às canções de protesto, aos cabelos desgrenhados, à gaita, a Andy Warhol ou à The Band. Um verdadeiro personagem se forjou desde que Robert Zimmerman saiu de casa em Hibbing, Minessota, em direção à grande maçã. Naquela época, o Greenwich Village borbulhava de criatividade e Bobby logo se fez notar.

De lá pra cá, ele se transformou muitas personas e era todas e nenhuma ao mesmo tempo. Foi esse mistério o mote para Robert Shelton, então jornalista do New York Times, desenvolver seu extenso relato sobre a vida e a obra daquele que foi o poeta de uma geração, demonstrando assim um ótimo faro para identificar um personagem de muito potencial.

Shelton viu talento singular em Dylan quando ele ainda era um estreante sem lugar pra morar, quem dirá um contrato com uma gravadora. Desde sua resenha no NYT, que projetou atenção sobre o novo cantor e contribuiu para que ele assinasse com a Columbia, Shelton desenvolveu um relacionamento duradouro com Bob que ia além da relação repórter-fonte: eles se tornaram amigos de longa data.

Essa proximidade permitiu ao jornalista acesso livre aos bastidores de um mito que nasceu quase que da noite para o dia e entrevistas exclusivas com um personagem avesso a elas. Ele expõe os vários Dylans: do adolescente frustrado pela mesmice que o aguardava em sua cidade mineradora, ao novato que se aventurou pela MacDougal Street, o trovador em ascensão e o renascimento do poeta elétrico.

Além de acompanhar turnês polêmicas, composições e gravações e as mais célebres aparições em festivais, Robert Shelton analisa com propriedade boa parte das canções que ajudaram a moldar o folk rock.

O grande defeito de “No Direction Home” é que ele para de contar a história em 1979, apesar de só ter sido publicado sete anos depois. As atualizações da edição lançada em 2010 no Brasil para comemorar os 50 anos de carreira de Dylan ficaram a cargo do editor Patrick Humpries, que dão uma noção superficial do que o cantor faria nos anos seguintes. Com uma apuração primorosa e um texto profundo, o autor apresenta um verdadeiro roteiro para qualquer relato da vida de Dylan, influenciando os filmes, livros e documentários que vieram depois.

É possível que Shelton fosse o único capaz de escrever sobre Bob com tanta competência e certa isenção. Ele desmistifica o homem, o cantor, o pai, o marido, o filho, o escritor, o compositor, o ativista político, o artista avesso a rótulos, o judeu, o recluso, o boêmio, o admirador de Woody Guthrie e o ídolo de tantos outros. Bob Dylan é todos em um e habita as páginas de “No Direction Home”, um livro que dá pesar largar.

Anúncios

3 comentários sobre “Resenha: “No Direction Home – A Vida e A Música de Bob Dylan”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s