Porquê futuros jornalistas devem ler a Piauí

Sou estudante de Comunicação Social, com muito orgulho, com muito amor. Ao contrário do que se imagina, não ficamos o tempo todo estudando Português e Redação – há disciplinas interessantíssimas, que vão da boa e velha Metodologia Científica aos primórdios da Comunicação. O objetivo é que, ao terminar o curso, tenhamos uma ampla visão não apenas da profissão, mas também do mundo.

Lindo, não? Infelizmente, nem sempre dá certo. Basta assistir às primeiras aulas pra compreender que você será, muito provavelmente, apenas mais uma peça na engrenagem. Não falo apenas das matérias “rec” (recomendadas por alguém “lá de cima”): o establishment dita até a forma como escrevemos. Duvida? Pergunte a qualquer aluno do curso: o que é o lead? Ele provavelmente dirá que o lead deve responder a seis perguntinhas básicas (o quê?, como?, quando?, onde?, porquê?, quem? – não necessariamente nessa ordem). A resposta, decorada, deixa pouco espaço para o questionamento: se todo primeiro parágrafo contiver, sempre, as mesmas informações, qual a graça?

Por isso, quando ganhei a assinatura da revista piauí, me rendi a seus charmes. Seguindo indicação de meu amigo Renato, O Sumido, apontei para “essa aqui” quando meu namorado perguntou qual revista queria de presente – ele estava de olho no relógio que vinha junto com a assinatura.

O charme a que me refiro é, pura e simplesmente, o estilo de escrita que a revista contém. Trata-se de um jornalismo quase literário, poético, bonito. Seu idealizador, o documentarista João Moreira Salles diz: “o que a piauí faz é contar bem uma história”. E que histórias!

Não conhece a revista? Não se sinta mal: ainda há tempo. Aqui vão alguns motivos para correr para a banca mais próxima:

  1. Não é convencional. As editorias não são fixas, e o texto está longe do padrão. Sem pressa de passar a informação principal (lead? o que é isso?), foca na reportagem quase literária.
  2. O formato é único. 25,6 cm x 34,8 cm. Grandona, dá a impressão de que nunca vai acabar. E, acredite, isso é uma coisa boa.
  3. Seu site é versátil. “Exclusivo para assinantes” uma ova! É claro que há, sim, conteúdo acessível apenas para assinantes, mas ainda há bastante coisa legal: blogs (o brilhante The Piauí Herald), edições anteriores e downloads.
  4. É alternativa. É a revista que todos vão te pedir pra ver. Por causa do formato, do nome, da capa e até do papel, piauí chama atenção porque é diferente.
  5. Melhora seu texto. Ler bons textos tem esse efeito. Você logo, logo estará escrevendo melhor.
  6. Conta histórias que você não lerá em nenhum outro lugar. São histórias de gente, famosa ou não, que você não verá em qualquer outro veículo. Curtas, longas, engraçadas ou tristes, elas são o coração da revista.
  7. Fácil recomendação. Sempre me pedem pra recomendar um livro ou revista, já que leio muito. Recomendo piauí para estudantes de Jornalismo sem titubear. Por todos os motivos acima.
Anúncios

3 comentários sobre “Porquê futuros jornalistas devem ler a Piauí

  1. Eu já ouvi falar bastante nessa revista, mas nunca achei em lugar nenhum… mas me deu bastante vontade de ler principalmente pelo ítem 5 que você citou rsrs

    beijo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s